O cenário político pós(?) terrorismo

Eu ia retomar o blog com alguns comentários sobre as mudanças ao Exame de Ordem recentemente publicadas pelo Conselho Federal , mas a notíc...

O cenário político pós(?) terrorismo

Eu ia retomar o blog com alguns comentários sobre as mudanças ao Exame de Ordem recentemente publicadas pelo Conselho Federal, mas a notícia da morte do Osama bin Laden caiu como uma bomba na pauta do blog. Não dava para não falar do assunto.

O fato é que afirma-se que o terrorista mais procurado do mundo foi morto neste domingo em uma operação coordenada envolvendo apenas um pequeno grupo de elite do exército americano, operação que cercou e invadiu a mansão onde o terrorista se encontrava, na cidade de Abbottabad, no Paquistão. As informações sobre o paradeiro do líder da Al Qaeda já vinham sendo levantadas pela agência de inteligência americana, a CIA, há mais ou menos quatro anos.

Essa é a história que a imprensa noticiou. Nenhuma surpresa pra quem lê jornais. Mas alguém mais está achando estranha a ausência de provas concretas sobre a dita morte? A única foto divulgada já foi desmentida - provaram o uso de Photoshop. O tal do laudo de DNA não esclarece de onde tiraram a amostra usada como referencial. O corpo foi jogado ao mar "de acordo com a tradição do Islã".


É aí que mora o perigo: na paranoia das pessoas. Os atentados de 11 de setembro já completam 10 anos, e ainda assim as pessoas têm medo e desconfiança. Essa é a essência do terror: fazer as pessoas viverem sob a sombra do medo, que se traduz muitas vezes em ódio e xenofobia. As comemorações na porta da Casa Branca após o anúncio da morte do líder terrorista são prova disso. O cenário era digno do Império Romano, com cidadãos aplaudindo a morte de um condenado por seu líder. Naquele momento, os americanos se rebaixaram ao nível de fundamentalistas, que dançaram e comemoraram a morte de inocentes nos ataques ao World Trade Center.

Agora a Al Qaeda já ameaça retaliar os atos dos americanos e seus aliados europeus - um rumor de uma bomba nuclear na Europa já começa a circular na imprensa. E assim vai seguir a humanidade, enfiando-se em mais uma guerra em que os únicos perdedores serão os civis pegos no fogo cruzado entre paladinos da Justiça e fundamentalistas radicais e terroristas.

E o Osama? Tá vivo ou não? Eu particularmente ainda não sei no que acreditar. Sou mais uma vítima da paranóia imposta por essa guerra que se arrasta há séculos. A versão oficial diz que sim. Alguns vizinhos dizem que não. No diz-que-me-diz-que, o maior temor é que o episódio inspire novos ataques ou reacenda a chama do terror nos países desenvolvidos. Se ele está vivo, o governo americano perderá credibilidade e mergulhará numa crise grave. Se ele estiver morto, tornar-se-á um mártir. Será que realmente foi um bom negócio?

Bicho engraçado o ser humano. Mesmo após 21 séculos depois de Cristo, ainda resolve seus problemas na base de quem bate mais forte.

Um comentário

Avatar
Super Kah. 4 de maio de 2011 13:56

Bom negócio só para o Obama e sua reeleição.

Também sou cética quanto a morte dele.

"Osama não morreu" vai virar slogan.

#EUAfail

Reply Delete