728x90 AdSpace

  • Novidades

    sábado, 11 de fevereiro de 2012

    Lendas Urbanas nas Redes Sociais

    Todo mundo que já pisou no terreno hostil que são hoje as redes sociais já deve ter dado de cara com algum compartilhamento bem intencionado, muitas vezes feito por um amigo, um colega de trabalho, um parente ou um conhecido. O que notamos, porém, é que muitos desses compartilhamentos são o bom e velho spam de email, repaginado e atualizado nos dias atuais.

    Segundo Simão Mairins, em seu artigo intitulado "A internet mudou, mas os internautas continuam os mesmos", o princípio aplicável ao caso é o mesmo: "nos e-mails, os spammers procuravam (e ainda procuram) endereços para montar bases gigantescas e vendê-las em seguida, enquanto no Facebook, fanpages garimpam curtidores para, com um grande público formado, comercializar ações na rede voltadas para esses 'fãs', que permanecerão lá curtindo e compartilhando o que os golpistas postam". Essa é a realidade: aqueles joguinhos do tipo "curta ou compartilhe", ou "curta pra descobrir o que você é", têm como único objetivo a ampliação da base de dados de uma fanpage, que pode ser facilmente vendida para empresas interessadas em divulgar comercialmente seus produtos, por exemplo.

    Cientes desse problema, buscamos algumas das lendas urbanas mais conhecidas do Facebook para que você saiba como se prevenir e evitar cair nesse tipo de golpe.

    1. "Recebemos 14 iPhones 4S e vamos sorteá-los entre aqueles que curtirem nossa página"

    Esse golpe foi usado pela página do Facebook "Chá de Ideias", que em pouco mais de 2 dias, alcançou 198 mil fãs (!!!) com o mesmo. Muitos de vocês devem ter visto até a foto pululando na sua timeline na última semana. Para quem não viu, era essa aí abaixo.

    Curta pra concorrer!

    Antes de mais nada, o "lote recebido" foi retirado de uma foto de uma loja na China, se preparando para o lançamento do novo iPhone. Uma foto real, mas usada de forma a enganar os usuários da página, levando-os a crer que os donos haviam "recebido" da Apple um lote de iPhones 4S. 

    Não preciso nem começar a dizer o quão absurda é essa afirmação, né? O iPhone 4S mais barato, sem operadora, sai por R$ 2,599,00 (isso mesmo, dois mil, quinhentos e noventa e nove reais). Você vai mesmo acreditar que uma página de Facebook ganhou produtos que, somados, chegam a R$ 36.386,00 (trinta e seis mil reais, meu povo)? Não fosse pelo absurdo que isso representa pelos valores envolvidos por si só, a Apple não doa produtos para promoções do tipo sorteio, e nem apóia esse tipo de ação com seus produtos. É política da empresa.

    Curioso notar que esse tipo de fraude não é só uma pegadinha: é crime. Trata-se de uma fraude para obter uma vantagem indevida, ora. No Direito Penal, a fraude pode ser caracterizada como o crime ou ofensa de deliberadamente enganar outros com o propósito de prejudicá-los, usualmente para obter propriedade ou serviços dele ou dela injustamente (art. 171 do CP, estelionato). Aqui nesse caso, a fraude se dá pelo induzimento ao erro por meio de um falso anúncio.

    Como se prevenir desse tipo de situação?

    Existem, claro, fanpages responsáveis com promoções reais. A primeira coisa que você precisa fazer é correr atrás do regulamento da promoção. Toda ação nesse sentido precisa de regulamentação, não dá pra fugir disso. Se uma promoção aparecer no Facebook sem regulamento, ou seja, sem datas, prazos, regras e afins, desconfie: é mais uma tentativa de spam. Denuncie a página sem dó.

    2. "Para cada curtir que a foto receber, o Facebook irá doar 0,05 centavos"
    Facebook não é Criança Esperança, pessoal. Essa é outra forma de spam que tem aparecido de forma absurda nas redes sociais nos últimos tempos, e que já é velha conhecida dos usuários de email - quem não se lembra daquela história de que a Microsoft pagaria um dólar para cada email enviado para a sua "base de dados"?

    Os pedidos de "curtir" nesses casos vêm sempre acompanhados de fotos de crianças deformadas por alguma doença grave, animais maltratados, bebês prematuros e afins. O objetivo: sensibilizar quem vê a imagem e conseguir mais compartilhamentos, e dessa forma, promover mais e mais o spam.

    Pessoal, aqui a lógica fala mais alto outra vez: é realmente crível que o Facebook irá contabilizar o número de "curtir" e de compartilhamentos para fazer uma doação? Se a página realmente faz isso, onde estão as normas para atividades filantrópicas por meio da rede social? Uma situação como essa precisa ser regulada para evitar fraudes, e por isso, precisa no mínimo constar nos termos de uso da rede social. Pode ler lá, você não vai achar nada. Além disso, se realmente fosse verdade, você não acha que haveria centenas (quiçá milhares) de casos na sua timeline, ou uma divulgação na imprensa?

    O Facebook não faz filantropia. Pelo menos não dessa forma. Denuncie a página por spam e seja feliz.

    3.  "Essa mulher tem uma aranha vivendo dentro do seu braço. Clique aqui e veja o video"
    Uma das armadilhas mais perigosas do Facebook flerta com um dos maiores defeitos dos seres humanos: a curiosidade mórbida. Geralmente disfarçado de algo que possa chamar a atenção do internauta - vídeos de escândalos, ou a última do BBB, ou uma celebridade fazendo topless -, esse é o mais perigoso tipo de spam, pois geralmente contém vírus, que fazem com que seu computador dispare pelo Facebook automaticamente mensagens para todos os seus amigos. Segundo o Olhar Digital, já são mais de 600 mil usuários vítimas de links maliciosos que prometiam montagens divertidas do Photoshop, caricaturas virtuais e outros. O vírus, uma vez instalado, pode até mesmo permitir ao cracker acessar o perfil do usuário, que pode ter sua conta comprometida. Cuidado com o que você clica.

    O que fazer nesse caso?

    Está curioso mas não sabe se o link é confiável? Google, meu amigo! Faça uma rápida pesquisa para verificar se a informação procede! Rápido e eficiente. Não se esqueça de denunciar o link malicioso!

    4. "Descubra quem andou visitando seu perfil"
    Outra forma de instalar vírus no seu computador com relativa facilidade. Não existem aplicativos de funcionalidades para o Facebook, pessoal, não dá pra saber quem deixou de te seguir, quem te bloqueou, ou quem visitou seu perfil. Tais aplicativos não são aprovados pelos programadores do site, exatamente por conta da política de privacidade da rede social em discussão. Mais uma mentira mal fundamentada, e na qual muita gente cai.

    A única forma de adicionar novas funcionalidades ao Facebook é por meio de extensões para o seu navegador. O Google Chrome, por exemplo, possui extensões como o Unfriend Finder, que monitora quem excluiu conta, quem deixou de ser seu amigo, quem aceitou ou recusou seus pedidos, etc. De novo: não é um aplicativo do Facebook, é uma extensão do seu navegador.

    O que fazer nesses casos?

    A mesma coisa que você faz quando bater a curiosidade: pesquise no Google e verifique a informação. Com certeza você encontrará alguma coisa. Mais uma vez, denuncie o link.

    As redes sociais são comunidades eletrônicas, mas não se diferenciam em nada das comunidades "reais" aqui fora. Gente mal-intencionada tem aos montes na internet, e no Facebook não seria diferente - ainda mais com a franca acensão da rede no Brasil. É só ter bom senso e um pouco de cautela para não cair nesse tipo de golpe, que pode promover ainda mais a disseminação de lixo eletrônico, ou até mesmo causar danos ao seu computador.
    • Comentários do Blogger
    • Comentários do Facebook

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Lendas Urbanas nas Redes Sociais Rating: 5 Reviewed By: Raphael Chaia
    Ir para Cima