728x90 AdSpace

  • Novidades

    quinta-feira, 25 de agosto de 2016

    Crimes eletrônicos triplicam durante as Olimpíadas de 2016

    As Olimpíadas do Rio de janeiro chegaram ao fim, e o evento foi um sucesso. Uma modalidade "esportiva", porém, não ganhou destaque nos jogos, apesar de ter recebido grande atenção por parte de seus "atletas": segundo um levantamento realizado pelo Arcon Labs, os cibercriminosos já haviam iniciado uma série de ataques de reconhecimento de alvosmuito antes do início dos Jogos Olímpicos, para que, durante o período das Olimpíadas, as fraudes se concretizassem em alvos qualificados.

    Entre julho e agosto desse ano foi registrado um crescimento de 196% dos crimes eletrônicos mais comuns, como phishing, ataques de negação de serviço e exploração de falhas de software. Segundo o levantamento, publicado o site IDG Now!, o ranking dos crimes é o que se segue:

    1º - Ataques automatizados (crescimento: 715%)

    Entre os mais comuns estão:

    Worms - se multiplicam através de vulnerabilidades de aplicação ou rede e têm como objetivos enviar documentos para fora da empresa, roubar identidades ou até mesmo inundar uma rede.

    Botnets - são redes de computadores zumbis controlados remotamente por um hacker, que as utiliza para enviar spam e iniciar ataques de DoS ou DDoS.

    2º - Ataques de DoS e DDoS (crescimento: 330%)

    Um dos mais realizados durante o período da Copa do Mundo voltou com força nos Jogos Olímpicos. Esses ataques têm como objetivo tornar indisponíveis grandes servidores, serviços e infraestruturas.

    3º Ataques WEB (crescimento: 231%)

    São ataques a sites se aproveitando de vulnerabilidades para comprometê-lo. Os objetivos iam desde difamar a empresa ou instituição, acessar o ambiente de TI ou roubar dados confidenciais.

    4º - Ataques Buffer OverFlow (crescimento: 91%)

    Trata-se de um tipo de ataque que busca explorar falhas de softwares, aplicações e sistemas operacionais até resultar em um acesso ilegal.

    5º - Malwares – crescimento: 38%

    Mais de 480 mil códigos maliciosos foram disparados com o objetivo de infectar máquinas, interromper sistemas, ganhar acesso não autorizado ou coletar informações sobre o sistema ou usuário sob ataque.

    Mais uma vez restou claro que grandes eventos são um prato cheio para fraudes online, uma vez que o número de alvos aumenta exponencialmente em uma mesma localidade, deixando mais e mais dados vulneráveis às ações de pessoas de má-fé que usam a internet para o cometimento de crimes eletrônicos. Importante sempre reforçar que investimentos em segurança online precisam ser constantemente realizados, bem como que mais e mais ações do poder judiciário sejam direcionadas para a repressão desse tipo de conduta. 


    O número de fraudes e estelionatos eletrônicos também aumentou. De acordo com a Kaspersky Security Network (KSN), foram encontrados todos os dias registros de sites falsos com promoções e venda de ingressos das Olimpíadas 2016. Mais de 230 endereços na web foram bloqueados durante a realização dos Jogos. 

    As vítimas potenciais desses golpes são exatamente os turistas. Além de sorteios por promoções falsas de ingressos, a falsificação de entradas também foi uma conduta verificada com certa frequência - e a forma como tal falsificação é realizada chega a ser quase artesanal: os estelionatários fazem buscas em perfis de redes sociais de pessoas que publicam fotos dos ingressos comprados para copiarem cada detalhe e fabricar um novo. 

    O já mencionado phishing é uma forma de fraude eletrônica caracterizada por tentativas de adquirir dados pessoais de diversos tipos. Um exemplo deste crime foram os falsos sorteios que solicitavam dados bancários das vítimas, sob a promessa de chance de ganhar ingressos para as Olimpíadas. 

    Vale a regra de ouro mais uma vez: desconfie sempre de ofertas muito tentadoras, e cuidado com sorteios que não apresentem certificado da Caixa Econômica Federal. Não feche compras de sites desconhecidos ou que não tenham certificação digital de segurança, e não forneça dados de qualquer natureza sem que haja a certeza de que se trata de um negócio de confiança. Desconfie.
    • Comentários do Blogger
    • Comentários do Facebook

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Crimes eletrônicos triplicam durante as Olimpíadas de 2016 Rating: 5 Reviewed By: Raphael Chaia
    Ir para Cima